PC-XT

now browsing by tag

 
 

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter  

– Essa semana estive olhando um adaptador de disquete e fiquei curioso sobre seu funcionamento. Vi que ele poderia substituir um disquete normal de 3 1/2″ porém usando um cartão SD.

O adaptador em questão é do tipo abaixo:

FujifilmFlashPathFD-A1-M

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

Achei que poderia ser mais uma solução para trocarmos arquivos entre as máquinas antigas. E interfaces entre diferentes máquinas são sempre bem-vindas ao mundo de retro computação.

O que é:

FlashPath (FlashPath Floppy Disk Adapter) é uma série de dispositivos produzidos pela SmartDisk que permite o uso de  memory cards no drive de 3.5″. A primeira versão desse dispositivo foi introduzida no mercado em Maio de 1998 usando cartões  SmartMedia . Mais tarde foram produzidos flashpath para outros tipos de cartões:  Memory Stick e Secure Digital/Multi Media Card (SD/MMC).

O Uso:

Bom quando chegou minha compra já fui desempacotando o bixinho, que vem em uma embalagem bliss. Veio também um CD, duas baterias CR-2016 e um folheto de instruções (que não diz absolutamente nada, a não ser como colocar as baterias).

flashpath floppy adaptar disk

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

A primeira coisa que chamou minha atenção era o CD. Se tem CD tem driver, se tem driver, não dá para usar em qualquer máquina. Dito e feito, a principal desvantagem nesse dispositivo é que já é um dispositivo retrô e os drivers foram escritos principalmente para Windows 95, Windows 98, Windows 2000 e NT4. Pelas minhas pesquisas alguns funcionam até mesmo no Windows ME. Windows XP para frente esquece. Ah! também funciona no MAC mas nas versões 8 e 9 e apenas para leitura (que chato).

Antes que você tenha o impulso de entrar nesse site da JVC que está na foto esquece, o link já era. Mas a parte boa é que encontrei o novo link é esse aqui

Mesmo assim para o propósito de retro computação vai servir.

O segundo problema que tive e que achei mais grave, foi achar um cartão SD que fosse compatível. Note que esse modelo da foto ai em cima não vem com cartão para usar.

Pelo manual, os cartões compatíveis são:

Security Disk (SD):  2MB, 4MB, 8MB, 16MB, 32MB, 64MB

MultiMediaCard (MMC): 2MB, 4MB, 8MB, 16MB, 32MB

Putz, onde eu vou achar esses cartões. Até procurei, mas não rolou. Dei uma olhada nos cartões que tinha e achei um de 512MB que uso nas minhas máquinas (detalhe importante, NÃO é um cartão do tipo HC) antigas, pensei, é esse mesmo.

Então coloquei as duas baterias que precisava, coloquei o cartão SD, instalei o driver para Windows 98 (que foi o sistema que testei) e fui para máquina colocar o adaptador de disquete.

sam_2358

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

pic00005

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

Entrei no meu computador, cliquei no drive de 3.5″ e ………   nada. Não funcionou.

Que saco, vamos conferir tudo, bateria (com multímetro para ver se tinha carga), instalação do driver (dando um boot para garantir) e fazendo uma limpeza na cabeça de leitura do drive com um disquete de limpeza e álcool isopropílico (se você não tem esse disquete, veja esse artigo).

Pronto, coloquei no computador e…. nada. Não funcionou novamente.

Putz, só restava o cartão SD. Coloquei no meu notebook e estava lendo normalmente.

E agora?

Fui dormir…. depois de uns dias, fiquei procurando esses cartões pequenos 8mb, 16mb, 64 mb, desisti.

Foi ai que tive a brilhante idéia, podia particionar o cartão de 512mb que tinha, vai que não aceita tamanho tão grandes. Peguei o cartão, coloquei no notebook, entrei o gerenciador de discos do Windows e não dava para criar partições, não habilitava a opção de diminuir volume do disco.

Nesse ponto, pensei, preciso encontrar um software para particionar pendrives, mas antes vou formatar esse cartão lazarento. No próprio gerenciador de discos, cliquei com o botão direito sobre o cartão. Escolhi formatar como FAT.

Resolvi testar novamente e…… FUNCIONOU.

Durante os testes de leitura e gravação, achei meio lento, mas a idéia aqui não é performance, mas sim portabilidade para armazenamento e nesse quesito funciona perfeitamente. É meio lento, mas satisfatório.

Outro ponto, na especificação que se encontra acima no link para download do drive, o texto diz que funciona em Windows com versão superior ao SE, pois esses sistemas não precisariam de drivers de instalação. Fiz um teste com o Windows 10 e com uma unidade de disquete externa USB, não funcionou. Pode ser que se for uma unidade interna de disquete funcione, mas  para testar isso, eu precisaria de um desktop com um drive de 3.5″ instalado e com o Windows mais atual. Infelizmente não tenho uma máquina com essa configuração para testes.

Testei cartões do tipo SDHC e não funcionou, mesmo fazendo uma partição menor. Por exemplo, peguei um cartão SD de 8 GB e criei somente uma partição de  512 MB formatado com FAT (FAT16). Mesmo assim não funciona.

Abaixo segue algumas imagens do interior do Adaptador de Disquetes para conhecimento:

sam_2357

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

sam_2358

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

sam_2359

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

sam_2360

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

sam_2366

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

sam_2367

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

Segue abaixo o conteúdo do CD de instalação, contendo os drivers e manuais do adaptador:

Instalação do Floppy Disk Adapter

Por enquanto é isso.

Análise Adaptador de Disquete – FlashPath Floppy Disk Adapter

Modernizando com Monitor LCD no PC-XT

Modernizando com Monitor LCD no PC-XT 

 

Muita gente quer montar seu PC-XT para curtir a nostalgia de rodar um Lotus 1-2-3 ou um Wordstar nos tempos atuais. Porém para matar essa saudade sempre nos deparamos alguns obstáculos no caminho.

O primeiro é encontrar um PC-XT real (nada contra emuladores, pelo contrário, são no mínimo excepcionais). As vezes conseguimos a máquina, mas os periféricos adequados como teclados e monitores já são outra história.

Para ajudar nessa busca vai a dica de um monitor que vai funcionar na sua placa CGA com aquela saída DB-9 (9 pinos) que seu XT tem.

O monitor em questão é esse ai:

monitor positivo smile light 563

Monitor Lcd 15.6 Positivo Smile Light 563

 

Especificações Técnicas

Marca: Positivo

Modelo: 563

Tela: 15.6 Polegadas

Tipo: LCD Widescreen

Brilho: 200cd/m²

Contraste: 500:1

Tempo de resposta: 16ms

Dimensão Aproximada: 418 x 348 x 180mm

Resolução Máxima: 1360×768 @60hz

Modos de resolução: VGA 640×350 (70Hz)VGA 720×400 (70Hz)
VGA 640×480 (60/72/75Hz)SVGA 800×600 (60/72/75Hz) 
XGA 1024×768 (60/70/75Hz)SXGA 1360×768 (60Hz)

Número de Cores: 16,7 milhões

Frequência de varredura: Horizontal: 30 – 60 kHz / Vertical: 56 – 75 Hz

Ajuste OSD: Ajuste de posição(H/V) Brilho, contraste, fase, clock, volume,
autoajuste, nitidez, OSD

Consumo: 9W (ligado) 1,3W (standby)

Entrada VGA: 15 pinos fêmea

Esse monitor, ainda, bem fácil de se encontrar.

O LCD dele é widescreen e, sinceramente em minha opinião, não atrapalha nem um pouco na visualização.

O monitor já está apresentado a vocês, porém para que ele possa funcionar adequadamente no XT temos que construir um cabo adaptando a saída DB-9 da placa CGA do XT para o conector DB-15 no monitor.

Para construir o cabo você vai precisar de:

  • 1 conector com capa DB-9 MACHO

  • 1 conector com capa DB-15 FEMEA (por ser fêmea vai permitir que se possa conectar no cabo de monitor)

  • 30 cm de cabo manga com pelo menos 7 vias ( 7 fios ou mais )

  • (ferro de solda, solda, alicate, etc.)

A ligação entre os pinos dos dois conectores deve ser feita conforme o esquema abaixo:

AV1-DB9-HD15-DiagramR

CGA-VGA-AdapterR

É importante ressaltar que alguns adaptadores no mercado NÃO são compatíveis  para o que pretendemos, um deles está na figura abaixo:

CGA-VGA-Adapter-Wrong-Connect

Note que as ligações do adaptador acima são diferentes e portanto NÃO irá funcionar conforme desejamos.

Bom, é isso ai. Abaixo segue as fotos do nosso adaptador funcionando no monitor Positivo 563 com o PC-XT.

IMG_0013
IMG_0009

Modernizando com Monitor LCD no PC-XT

Emulador de Drive no PC-XT

Emulador de disquetes ou drives no PC-XT

IMG_0004

Durante um bom tempo, estive procurando uma forma de transferir arquivos do meu notebook para meu PC-XT de forma fácil. Então, depois de um tempo, percebi que não ia conseguir fazer isso no modo “plug and play”, ou seja de forma transparente, com o que eu tivesse à mão. Assim parti para estudar um pouco como fazer isso.

Tem várias formas para fazer essa empreitada:

  1. Transferência de arquivos via cabo por porta serial
  2. Colocar um drive de 3 1/2″ externo
  3. Usar o drive de 5 1/4″ (já nativos nos XTs)
  4. Usar um emulador de drive

Além dessas opções, existem outras, mas dentro do contexto que eu queria separei apenas essas. Dentre essas resolvi optar por colocar um emulador de drive (a opção 4), pois só ia precisar de um pendrive para fazer a cópia dos arquivos que baixei no meu notebook e colocar/instalar no XT. Além do mais, alguns programas vem em formatos  e imagens de instalação em forma de discos (360, 720, 1.2 e 1.44), para não ter que ficar extraindo, compondo, alterando os arquivos para depois instalar, o emulador de drive seria perfeito para essa compatibilidade.

Bom, a ideia é simples, mas a implementação disso nem tanto.

Primeiro tive que escolher um emulador de drive que servisse para o que eu queria. Dentre os vários modelos disponíveis no mercado resolvi escolher esse aqui:

DSC_0015-e1368930726965

fig. 1: Emulador de Drive 1.44 mb Modelo Sfr1m44-u100k – Frente

DSC_00161-e1368931006772

fig. 2: Emulador de Drive 1.44 mb Modelo Sfr1m44-u100k – Fundo


Escolhi esse porque além de ser fácil de achar, o preço é melhor, as pinagens de 34 vias para plugar o flat cable são padronizadas, a cor para combinar e o mais importante, ele aceita leitura/gravação de discos de alta densidade 1.44mb e os de menores capacidades também (1.2 mb, 720 kb e 360 kb).

No drive, a única configuração é o jumper para escolher entre drive A ou B, para isso basca fechar o jumper da posição DS0 ou DS1 respectivamente. Esse ponto não é critico nesse momento, pois durante os testes você poderá escolher entre um e outro, conforme a sua necessidade. Você pode baixar o manual aqui se precisar.

Bom, agora é plugar o cabo flat de 34 vias na controladora de disco e no emulador de drive, ligar a alimentação e pronto.


emulador-com-cabos

fig. 3: Emulador de Drive já com os cabos de energia e dados


IMG_0007

fig. 4: Cabo Flat já conectado na controladora de discos


Ou quase pronto 🙂 foi o que eu pensei também. Mais a frente vamos ver o porque disso, antes vamos preparar o pendrive particionado com os discos para testarmos.

Agora é preparar um pendrive com as imagens de disco:

Para isso precisa baixar o software da IPCAS para formatar o pendrive em 100 partições (100 discos).

1. Passo: Após instalar o IPCAS, plugue seu pendrive. Se tudo estiver certo, vai aparecer somente os drives removíveis no software (exemplo abaixo drive F:)

tela1

fig. 5: Tela principal do IPCAS


2. Passo: Clique com o botão direito no drive F ou vá ao menu USB Flash Drive e escolha a opção Format. Na tela que aparece marque as opções conforme a tela abaixo:


tela2

fig. 6: Tela de formatação com as opções de densidade de 1.44mb e 100 discos


3. Passo: Clique em Begin to format


tela3

fig. 7: Tela do IPCAS formatando o pendrive


Passo 4: Depois de formatado, o software já criou 100 partições ou 100 disquetes para você usar conforme a figura abaixo:


tela4

fig. 8: Tela do IPCAS com pendrive já particionado e formatado com 100 discos


Note que todos foram formatados como 1.44 mb e estão vazios.

Agora vamos mudar apenas um deles com outro tamanho.

Clique com o botão direito na partição que você quer alterar e escolha a opção format (escolhi a primeira 000).

Configure a tela conforme visto na figura abaixo:


tela5

fig. 9: Tela para formatarmos apenas 1 discos


Depois de formatado olha como fica a partição 000.

Ficou com o tamanho de 720kb e com 19% utilizado, essa utilização foi porque ele criou os arquivos de sistema do DOS 6.22 (command.com, config.sys, io.sys), conforme escolhi na tela acima.


tela6

fig. 10:  Tela mostrando o resultado do disco 000 formatado com 720 kb e com 19% de utilização


Passo 5 e último: Para copiar arquivos nesses disquetes virtuais, bastar dar um duplo clique na partição que você quiser. Isso vai abrir a tela do explorer mostrando o conteúdo dessa partição. No exemplo abaixo cliquei na partição 009 que por sinal está vazia. Agora é só copiar os arquivos que desejar e pronto.


tela7

fig. 11: Tela com windows explorer com o disco 009 escolhido por nós para copiar nossos arquivos


Outra forma é clicar com o botão direito na partição que você desejar, escolher a opção Read e na tela que se abre escolha um arquivo de imagem de disco (.img) selecione e pronto. Isso vai gravar a imagem do disco prontinha na partição.


Bem legal né.


Continuando…..


Agora com nosso pendrive pronto e com o emulador plugado, vamos aos testes.

lembra quando falei que parece que estava tudo ok. Não estava, pois no primeiro DIR que dei no disquete apareceu isso ai ó.


erro no acesso ao drive a

fig. 12: Primeiro acesso ao drive A: depois de plugar tudo


Isso ocorreu pelo seguinte motivo, a controladora de discos original do PC-XT só acessa discos de 360kb ou 720kb. Mas eu criei várias partições no pendrive de 1.44mb. Então como fazer? Tenho uma boa e uma má notícia:

A má notícia é: Precisa substituir sua controladora de discos.

A boa notícia é: É mais fácil de se encontrar controladoras de PC-ATs do que as usadas em PC-XT

Substituí a controladora com uma que funciona em PC-ATs, como essa da foto ai embaixo:


antiga-placa-controladora-ide-barramento-isa-rara-coleco-14871-MLB20091362633_052014-F

fig. 13: Placa controladora de discos para PC-AT 8 e 16 bits


Note que o barramento é suporta tanto 16 bits quanto 8 bits. Mas se o barramento do PC-XT é de 8 bits, como vai funcionar. Simples, se você verificar o barramento na placa ela está dividida como se fosse uma extensão da mesma, então você vai plugar apenas a parte da frente da placa, a parte de trás fica solta mesmo. Veja a foto abaixo:


IMG_0007

fig. 14: Placa controladora de discos plugada no barramento de 8 bits apenas


Essa placa tem várias vantagens, além de permitir que possamos plugar nosso drive de 1.44 (tanto o emulador de drive quanto um drive comum de 3,5), ela ainda nos disponibiliza conexões para porta serial, paralela e de joystick, além de um conector para HD sem ser esse maldito padrão MFM que vem nos PC-XTs (a conexão com o HD ainda não testei, se testaram podem comentar para ajudar outros).

Legal, agora sim já posso utilizar meu emulador de drives?

Ainda não, estamos quase lá, falta o pulo do gato 🙂

Acontece que a BIOS do PC-XT não suporta gerenciar os drives de alta densidade (1.44 mb) adequadamente. Putz, e agora?

Tudo tem solução menos a morte :).

Existe um software chamado 2M-XBIOS, ( pode ser baixado aqui )que pelo que etendi é uma extensão da BIOS do XT para tratar controladoras de discos, ou seja, adequa algumas características da mesma para suportar drives de alta densidade.

Resolvi experimentar.

 

Para usá-la, basta colocar a seguinte linha no seu CONFIG.SYS:

DEVICE=2M-XBIOS.EXE  A:4   B: 1  /13


Os parâmetros do drive A e B estão descritos na tabela abaixo

Tamanho Numero Observação
360K 1
1.2M 2
720K 3
1.44M 4
2.88M 5 Precisa de uma controladora que suporte ED (1 Mbits/s transfer rate)

No exemplo da linha do CONFIG.SYS estamos dizendo que o drive A suporta 1.44 mb e o drive B (normalmente o drive de 5,25 que já vem no XT) suporta 360kb.

 

Esse software só permite que se controle 2 drives, mesmo que o XT possa ter até 4 drives disponíveis. Mas falando sinceramente, 2 é mais do que suficiente para o que pretendemos.

Continuando…. agora basta reinicializar a máquina (sempre reinicie a quente, desliga mesmo a máquina para todos os seus testes) e a seguinte mensagem deverá aparecer durante o processo de boot.

 2M-XBIOS 1.3 installed on A:360K B:1.44M [INT 13h]


Agora sim, você já pode criar sua pasta no drive A, formatar, copiar ou o que sua imaginação inventar.


IMG_0013

fig. 15: Nosso emulador funcionando (detalhe, pedi para ler um disco formatado com 720kb)

 

Obs: Se precisar dar um boot por esse disco não vai funcionar, pois o arquivo 2M-XBIOS.EXE está no drive C e esse emulador de discos é de 1.44mb, então a controladora não vai trabalhar direito com ele, como explicado no artigo.

 

Atualização 21/08/2018:

Uma atualização que achei muito bacana. Hoje troquei esse drive acima por um de modelo SMUFSSV@1104. Esse modelo de drive da gotek funciona com várias outras densidades além de 1.44 Mb. Então para configurá-lo, retire todos os jumpers e só feche o J9 para funcionar em 1.44 Mb. Mais detalhes nesse arquivo: [download id=”1813″]. Um outro ponto, muito interessante e, que não tinha conhecimento é que ao invés de usar o 2M-XBIOS.EXE, é possivel usar a diretiva DRIVPARM  no arquivo CONFIG.SYS do MS-DOS, ele faz o mesmo papel de setar as configurações do drive e, diga-se de passagem, funciona muito bem. Basta colocar a linha DRIVPARM=/D:0 /F:7 dentro do arquivo CONFIG.SYS para setar o drive A: com 1.44 Mb. Mais detalhes sobre o funcionamento dessa diretiva nesse documento:

SOBRE A DIRETIVA DRIVPARAM

 

Fim da Atualização

Um detalhe que não está totalmente relacionado com nosso tutorial mas que quero registrar e que pode ser um salva vidas para muitos. Se você já tentou instalar um emulador de drive de 720kb por exemplo (muito utilizado em MSX), vai verificar que funciona parcialmente. Porquê? Faça o seguinte, vamos criar uma pasta no drive A, para isso digite:

a:\> md pasta1 <enter>
c:\> a: <enter>

espere a luz do drive apagar e digite

a:\> dir

Ué cade a pasta. Então, não criou, mesmo não dando nenhum tipo de erro. Isso acontece para qualquer operação que você tentar fazer no disco, pode até formatar que não vai dar erro e no final quando der um DIR vai encontrar o disco intacto :).

Conclusão: Não funciona, seu drive vai ficar somente como leitura, pelo menos foi isso que aconteceu comigo.


Bom pessoal, o artigo ficou um pouco extenso, resumi o que pude, mas o procedimento tem muitos detalhes que são necessários para funcionar adequadamente.


Por favor, comentem seus testes e se tiverem mais dicas a acrescentar para todos, será bem vindo.

Até a próxima.

emulador de disquetes ou drives no pc-xt

Como Converter Sinal da placa CGA do PC-XT usando a placa GBS 8200

Como Converter Sinal da placa CGA do PC-XT usando a placa GBS 8200

Durante muito tempo quis usar os monitores de tubo (CRT) com meu PC-XT. Isso para manter a nostalgia mesmo. Os monitores originais, aqueles de fósforo verde, âmbar ou branco são extremamente raros, então queria usar um monitor de tubo mais recente, que existem aos montes hoje em dia.

Sei que dá para usar um monitor LCD só montando um cabo e usando um monitor específico, conforme esse artigo, mas porque usar um monitor se posso usar qualquer um disponível. De qualquer maneira tenho outras opções.

Mas como fazer isso, já que os mesmos não são compatíveis com a placa CGA existentes no PC-XT. Bem, ai começa minha odisseia; primeiro comprei uma placa GBS 8200 essa aqui ó:

CGA-EGA-RGB-TO-VGA-VIDEO-GAME-CONVERTER-GBS8200

É uma placa bem legal, claro não é uma super conversora que custa centenas de dólares, mas dá recado do trabalho. Além disso ela é bem conhecida dos colecionadores de computadores antigos. Quebra o galho de muita gente.

Ela tem entrada para sinal RGBS (que pode ser usada no MSX, por exemplo) e CGA, show de bola. Achei que meu problema estava resolvido, era só fazer um cabo de conectando o conector db9 da placa CGA do PC-XT na entrada de 5 pinos que aceita CGA e pronto. Adivinha???

Não funciona 🙁

Poxa, mas qual o problema? Simples, a saída de sinal CGA da placa do PC-XT é um sinal Digital, o pessoal chama de RGBI e a entrada da placa GBS 8200 é analógica (RGBA). Vou dizer, fiquei um tempão esperando alguém para solucionar esse mistério, mas acabei caçando eu mesmo na internet e achei, parece piada, nos fóruns do Commodore C128, que pelo que entendi tem o mesmo problema.

Por isso eu digo, quem tem um monitor 1084 da vida, sim esse da Commodore, pode-se dizer que tem um monitor precioso. Ele tem entrada para tudo que precisamos, no que diz respeito a máquinas antigas. Olha esse artigo.

Mas quem não tem, não se desespere, com essa solução, você vai conseguir plugar seu PC-XT num monitor CRT qualquer ou mesmo um monitor LCD, pois funciona.

Dito tudo isso, vi que era preciso construir uma placa para converter RGBI para RGBA, agora sim plugar na placa GBS 8200 e pronto.

Agora o problema óbvio, cadê essa placa?

Continuei minha busca, mas agora sabendo que precisaria de um esquema para construir essa placa, encontrei umas 3 soluções que a principio iam funcionar.

Achei neste Fórum, neste site GGLABS. Mas tem outros, é só procurar, agora sabendo o que buscar, que você vai achar.

Depois, sabendo do que precisava, acabei encontrando esse circuito até pronto no EBAY e outros sites as palavras chaves eram “Video Digital-to-Analog Converter for Commodore 128/128D”

Mas tava inspirado e resolvi fazer eu mesmo um protótipo de um que achei, olha aqui ó:

esquema-rgbi2rgba

Não encontrei nem o site da autora para colocar como referencia aqui. Só achei essa imagem mesmo, de qualquer maneira resolvi arriscar para ver se iria funcionar.

Eu nem tinha idéia se iria realmente funcionar, mas estava com um tempo sobrando então resolvi fazer.

Meu primeiro passo foi construir esse esquema ai em cima no Eagle. Mas antes dei uma procurada nos componentes para saber se não eram componentes difíceis e caros de comprar. Pelo esquema pode-se perceber que os únicos componentes que deveria me preocupar eram os CIs 7432 e 7486. O primeiro, tem nas melhores casas do ramo, mas o segundo, fala sério, só no ML um cara vendendo, tipo 20 pilas e fora isso só lá fora.

Então tive a idéia de procurar um equivalente, e encontrei o CI 74386, bem mais fácil de achar e baratinho, tipo 2,50. A única diferença era a posição dos pinos que mudam de um para o outro.

Beleza, toca fazer o esquema no Eagle então. Ficou assim:

diagrama-rgbi2rgba

e a placa ficou assim:

placa-rgbi2rgba

Os arquivos do projeto feitos no Eagle podem ser baixados nesse link ok:

Arquivos do projeto da placa para converter RGBI para RGBA

 

Assim todos podem melhorar, modificar, etc.

Depois, foi fazer a placa, comprar os componentes, soldar e testar:

placa-rgbi2rgba-1

placa-rgbi2rgba-2

Placa vista de cima, com o conector rgbsg que vem na GBS 8200, isso facilitou, porque agora é só plugar nela e pronto. Outra coisa, tem um jumper que pode ser configurado na placa, é para sincronismo composto ou horizontal e vertical separado. Eu testei somente com o composto, se quiserem fazer outros testes tudo bem, mas como funcionou, nem me aprofundei nisso.

placa-rgbi2rgba-3

As ligações.

placa-rgbi2rgba-5

Placa inteira vista de cima. Um detalhe, eu só tinha em casa o conector DB9 Fêmea, e na placa o certo seria colocar o DB9 Macho, assim a posição dos pinos fica certinho.  Como eu só tinha o fêmea, quando fui fazer o cabo que liga a placa CGA do PC-XT até a placa RGBI2RGBA precisei colocar os pinos invertidos, isso foi só para compatibilizar. De qualquer forma estou colocando a pinagem do CGA para vocês se orientarem, ok.

db9_cga

Se tiverem dúvida de como fazer o cabo, podem consultar esse artigo .

placa-rgbi2rgba-4

Coloquei um jumper nesse ponto ai da imagem acima, porque eu queria gerar uma placa com face simples e não dupla, daí gerou alguns jumpers nela e mesmo assim faltou esse ai, como era um só puxei por baixo mesmo.

O circuito precisa de uma alimentação de 5V para funcionar. Puxei da mesma fonte que alimento a GBS 8200.

Peço que não reparem, ficou feinha eu sei, mas para esclarecer, não sou técnico em eletrônica, nem estudei para isso. Sou apenas um hobista e colecionador. Gosto de superar os problemas que encontramos em nossas máquinas. E o que dá para fazer, dentro do meu conhecimento, eu faço.

O segundo ponto é que fico muito ansioso em fazer as coisas funcionarem, então não me atentei muito em otimização e acabamento.

Esse projeto está aqui até para que possamos melhorar (placa, tamanho, disposição, etc.).

Bom agora é testar.

Puxa, até me assustei, funcionou de primeira.

rgbi2rgba-teste1

rgbi2rgba-teste2

\\rgbi2rgba-teste3

rgbi2rgba-teste4

rgbi2rgba-teste5

rgbi2rgba-teste6

rgbi2rgba-teste7

rgbi2rgba-teste8

No meu ponto de vista, depois de ajustar o brilho, contraste, posição da tela, tamanho, etc… Achei a qualidade muito boa. Agora todos podem ter qualquer monitor ligado na placa CGA do PC-XT, seja um monitor CRT, LCD ou mesmo LED.

Bem pessoal, é isso ai. Se tiverem comentários ou dicas úteis, podem utilizar o campo de comentários abaixo.

Até a próxima.

Como Converter Sinal da placa CGA do PC-XT usando a placa GBS 8200