Tag: MSX

 

Conheça o Cartucho Multimapper. Um poderoso acessório para seu MSX

Conheça o Cartucho Multimapper.

Um poderoso acessório para seu MSX

 

Há tempos venho testando cartuchos para gravação das ROM´s que tenho. Alguns com flash outros com o modelo de eprom, eeprom,  e por ai vai.

Até que, semana passada, adquiri  um cartucho chamado Multimapper. Isso porque o mesmo prometia gravar vários formatos de ROM’s no mesmo cartucho pelo próprio MSX, apenas alterando alguns Jumpers de configuração.

Confesso que quando fiquei sabendo desse cartucho não me interessei muito, pois estava acostumado com cartuchos que só gravavam no formato ASCII16 ou outros que só gravavam no formato Konami4. Esses cartuchos funcionam, mas quando você tem um jogo e quer colocar no cartucho e o cartucho não aceita e em piores casos, ele aceita mas não tem espaço para isso, é frustrante.

Um exemplo são os cartuchos de jogos SCC que são alterados para conter um chip de memória flash para armazenamento das ROM’s. O normal é encontra-los com 512kb, mas já vi alguns com até 1 mb também. Esses cartuchos, até o presente momento, na minha opinião, eram os melhores (na questão da compatibilidade). Repetindo, até o presente momento….

Eis que surge o Cartucho Multimapper, com nada mais nada menos de 2 Mb de espaço em flash para armazenamento das ROM’s. E mais, ainda permite executar ROM´s do tipo ASCII8, ASCII16, Konami4 e Konami5. Basicamente, só ai, com essas características, já cobriu quase que 90% do universo de ROM’s de jogos que eu tinha para gravar. Não posso afirmar que pode gravar 100% das ROM´s porque é humanamente impossível testar todas, mas eu testei várias ROM’s de diferentes formatos e tamanhos e praticamente todas ou as mais importantes funcionaram. Coisa que nunca  tinha conseguido com outros cartuchos.

Alguns podem dizer que pode-se rodar essas ROM’s com o Sofarun. Sim, a maioria, mas nem todas, principalmente as maiores 1 ou 2mb, que vão requerer mapper, scc, configurações adicionais no próprio Sofarun, etc… e mesmo assim, várias delas não vão funcionar.

Pelo Cartucho Multimapper, você terá grande chance de funcionar. E com uma operação muito mais simples de se fazer.

Esse cartucho foi criado pelo Russian Bear Service Crew (RBSC), o mesmo pessoal que criou a Carnivore 2. E por fim, e não menos importante, esse cartucho está sendo produzido e distribuído aqui no Brasil pelo nosso amigo Paulo Maluf (dados para contato no final do artigo) pela bagatela de 160 reais até o momento.

Para se ter ideia, um cartucho SCC alterado para fazer algo semelhante e com menor capacidade de armazenamento, quando se encontra no mercado, sai em torno de 560 reais. Fica mais barato que muito cartucho comum que se encontra por ai.

Só vejo vantagens nesse cartucho. Para tanto, mereceu uma analise nesse blog.

A placa é essa ai na figura abaixo:

 

Este cartucho foi desenvolvido como uma alternativa aos cartuchos existentes com suporte para mapeadores individuais (Konami 4, ASCII8, etc.). A ideia era que fosse simples, barato e ao mesmo tempo universal com suporte para todos os mapeadores comuns.

O cartucho é baseado em FPGA Altera (EPM7064SLC44) e no chip AM29F040 FlashROM de 512 KB inicialmente (a que recebi já possui 2mb de flash). O cartucho pode ser programado no computador MSX usando o utilitário FL16.com. A seleção dos mapeadores, modo planar e a proteção contra gravação é feita por jumpers.

Principais Características:

  • FPGA: Altera
  • Memória flash: AM29F040 512 Kb
  • Suporte para mapeadores: Konami4, Konami5, ASCII8, ASCII16
  • Modo planar (64 Kb no slot) (não consegui identificar o propósito desse modo, apenas que deixa o msx inializar com o cartucho inserido no slot)
  • Toda configuração é definida por jumpers
  • Proteção contra gravação

Note que a placa, além de possuir os jumpers para as configurações dos mapeadores de ROM’s, ainda possui um conector para interface de atualização (JTAG – Programador USB Blaster) de seu firmware (FPGA).

 

Como utilizar o Cartucho

 

Primeiramente você precisa fazer download do programa chamado fl16.com que está disponível aqui.

O segundo passo é separar a ROM que você quer gravar no cartucho, no caso vou utilizar a do ALESTE como exemplo, ou seja ALESTE.ROM.

Com os dois arquivos no seu MSX, agora siga os seguinte procedimento (extraído e traduzido do manual oficial do projeto desse cartucho)

O processo de gravação de dados no chip FlashROM é denominado “flashing”. Esse processo serve para preparar o cartucho para ser programado.

 

  1. Remova o jumper PRG
  2. Remova todos os jumpers de mapeamento
  3. Insira o cartucho no slot MSX e ligue o computador.

 

Desabilitando todos os jumpers de mapeamento do cartucho permitirá que o MSX inicialize normalmente.

Para ser capaz de programar o cartucho, você precisa inicializar em MSX-DOS ou MSX-DOS2 e usar o utilitário FL16.COM feito por GDX.

 

Download FL16.COM

 

Depois que o sistema MSX inicializar no DOS, remova cuidadosamente o jumper K4 para habilitar a funcionalidade do cartucho.

Em seguida, use o utilitário FL16.COM para gravar qualquer arquivo ROM adequado no cartucho.

Por exemplo, o seguinte comando linha pode ser usada:

 

A:\FL16 ALESTE.ROM

 

Este comando iniciará o utilitário FL16.COM, que tentará detectar o cartucho, apagar o chip flash e gravar o arquivo denominado “ALESTE.ROM” no cartucho.

Se não houver erros, o cartucho está pronto para ser usado.

Mas antes de executar o programa gravado no cartucho, é preciso definir o tipo de mapeador correto para o arquivo ROM carregado.

No caso, para ALESTE.ROM o jumper precisa ser ligado é apenas o K4 – isso deve ser feito somente depois de desligar o MSX.

Finalmente, o jumper do PRG pode ser fechado novamente para não permitir a gravação. Agora o cartucho está pronto para uso. É só colocar em qualquer slot MSX e ligar a máquina. O jogo deve começar assim que o MSX acessar o cartucho. Se o jogo não iniciar, verifique se o mapeador que você escolheu está configurado para o tipo correto do arquivo ROM carregada.

 

ATENÇÃO! Nunca insira ou remova o cartucho de um slot de cartucho quando o MSX estiver ligado! Isso pode causar graves danos ao seu cartucho e / e ao computador MSX!

 

IMPORTANTE: O jumper A16 é usado não apenas para configurar o mapeador ASCII16, mas também é necessário para a programação de qualquer arquivo ROM no cartucho com o utilitário FL16.COM. Se você definir o jumper para qualquer outro mapeador configuração, o utilitário FL16 não funcionará corretamente.

 

OBSERVAÇÃO:  No Zemmix, depois de gravar e antes de colocar o cartucho para executar, remova o SD Card, principalmente se o formato gravado for Konami4. Se não fizer isso o jogo não vai entrar.

 

Customizando um Pouco

 

O meu cartucho, fiz uma adaptação para ficar mais fácil de utilizar, ao invés dos jumpers, coloquei uma chavinha do tipo DIP com 5 posições, na realidade eu não tinha em mãos uma com 5 posições, então usei uma com 4 e uma chave liga e desliga. 

Também coloquei numa caixinha para melhor manuseio. Mas isso é coisa minha, a placa fornecida é completamente funcional utilizando os Jumpers. É mais uma dica para quem quer colocar em um case. Eu sempre uso o que tenho a mão para fazer essas coisas. Por isso, peço que perdoem se não estiver profissional o bastante. Mesmo porque pretendo comprar mais uma Multimapper. É sempre bom tem mais de um do mesmo na coleção.

No final ficou assim:

Se quiserem a arte do label (não oficial) para esta caixa, pode ser baixado aqui.

 

Download Label Cartucho Multimapper

]

 

Os Testes

 

O primeiro jogo que carreguei foi o IANNA, uma ROM com 786kb.

Primeiro, com o computador desligado

Ligue apenas o jumper do ascii16 e desliguei os outros, inclusive o  jumper do Prog

Digite FL16 IANNA6.ROM

Carregue  o cartucho com a ROM.

Depois, para executar desligue o jumper do ascii16 e ligue o jumper  konami4,  já que o formato da ROM carregada foi o KONAMI4

Veja as imagens:

 

 

O segundo que gravei foi o Aleste2, arquivo com 2MB.

Primeiro, com o computador desligado

Ligue apenas  o jumper do ascii16 e desliguei os outros, inclusive o  jumper do Prog

Digite FL16 ALESTE2.ROM

Carregue  o cartucho com a ROM.

Depois, para executar desligue o MSX, deixe o Cartucho como estava, jumper do ascii16 ligado e os outros desligados, já que o formato da ROM carregada foi a ASCII16

Veja as imagens:

 

 

 

 

O terceiro que gravei foi o PENNANT2, arquivo com 131KB.

Primeiro, com o computador desligado

Ligue apenas  o jumper do ascii16 e desliguei os outros, inclusive o  jumper do Prog

Digite FL16 PENNANT2.ROM

Carregue  o cartucho com a ROM.

Depois, para executar desligue o jumper do ascii16 e ligue o jumper do konami5, já que o formato da ROM carregada era KONAMI5 (SCC). Coloquei um cartucho de SCC no slot 2, apesar de não dar conflito, o jogo também não usou o recurso de som d SCC, apenas o audio normal do MSX.

Veja as imagens:

 

 

O quarto que gravei foi o MR-CHIN, arquivo com 8KB.

Primeiro, com o computador desligado

Ligue apenas  o jumper do ascii16 e desliguei os outros, inclusive o  jumper do Prog

Digite FL16 MR-CHIN.ROM

Carregue  o cartucho com a ROM.

Depois, para executar desligue o jumper do ascii16 e ligue o jumper do konami4,  o formato da ROM carregada era KONAMI4.

Veja as imagens:

 

 

 

O quinto que gravei foi o CIRCUS, arquivo com 16KB.

Primeiro, com o computador desligado

Ligue apenas  o jumper do ascii16 e desliguei os outros, inclusive o  jumper do Prog

Digitei FL16 CIRCUS.ROM

Carregue  o cartucho com a ROM.

Depois, para executar mantenha ligado o jumper do ascii16.

Veja as imagens:

 

 

 

Nos testes gravei várias outras ROM’s, mas não vou postar aqui, mesmo porque com os exemplos acima já dá para ter uma ideia tanto da manipulação, quanto funcionamento do cartucho.

Não consegui fazer funcionar algumas ROM’s, mas foram poucas, talvez sejam conversões malfeitas, ou pode ser outro problema. Entre elas está Ultraman e R-Type.

Abaixo, segue uma sugestão de outros jogos que podem ser gravados nesse cartucho. Mas existem muitos outros.

 

ZANAC EX

 

ALESTE GAIDEN

 

VAMPIRE KILLER

 

LOS AMORES DE BRUNILDA

 

Conclusão

 

Um cartucho poderoso e relativamente barato para nossos padrões, mas com muita qualidade e que vai permitir brincar muito com nossas máquinas de forma simples e funcional. 

Pode ser que alguma ROM não funcione, mas foram poucas.

A placa não tem SCC, mas suporta ROM’s Konami5 SCC, portanto a saída de audio é feita na própria saída do MSX.

A placa funciona no MSX1 (Testada no Expert da Gradiente).

Recomendo fortemente que adquiram pelo menos uma placa dessas, afinal como todos já perceberam, tudo que é produzido para o mundo retrô é em lotes. Pode demorar para sair um novo ou mesmo nem ser produzido novamente. 

Quer adquirir a sua, entre em contato no e-mail abaixo:

 

Paulo Maluf

Enviar e-mail para palmal007@hotmail.com

 

 

 425 total de visualizações,  5 visto hoje

Botão Reset para MSX Expert da Gradiente e Botão Liga/Desliga Slot

Botão Reset para MSX Expert da Gradiente e Botão Liga/Desliga Slot

 

Já faz algum tempo que queria fazer esse artigo. Sei que o conceito não é novo e que nos tempos dourados o pessoal já implementou essas funcionalidades no Expert. Mas também sei que muita gente nem sabia que isso era possível.

Como eu gosto de customizar o Expert da Gradiente (inclusive isso é uma das coisas mais legais no MSX para mim), resolvi colocar o passo a passo aqui de como fiz com o meu.

Vou implementar duas funcionalidades que, na minha opinião, deixam o Expert da Gradiente melhor.

A primeira é, colocar um botão RESET. Isso mesmo, a Gradiente por questão de custo, design, tempo, sei lá o motivo não colocou um botãozinho de reset no Expert 1.0 e 1.1. Até colocaram no Expert Plus e no DDPlus, mas sei lá, ficou ruim, fica na traseira do console, dificultando um pouco o acesso. Essa funcionalidade está descrita na Revista MSX CPU n° 7.

A segunda funcionalidade é uma que fiquei sabendo no grupo MSX no Facebook. Quem deu as dicas para fazer a alteração foi Paulo Vinicius Wolski Radtke.  Ele fez a implementação no MSX dele , um Hitbit HB-F1 II.  Eu estou fazendo o mesmo só que no Expert da Gradiente. Essa funcionalidade é legal para utilizar por exemplo o chip SCC de um cartucho que tenha o Jogo + o SCC e se quisermos usar o SCC desse cartucho em jogos .ROM que estão no MSX, precisamos desligar o Jogo do cartucho. Uma forma é alterar fisicamente o cartucho, outra forma é usar essa solução: colocar uma chave liga/desliga no próprio Expert. Ou seja, desliga o cartucho e liga-o novamente depois que o MSX fizer o boot.

Veja o vídeo que o Paulo fez no MSX dele.

https://www.facebook.com/pvwradtke/videos/2582091171865764/

Dito os devidos detalhes, vamos agora para a implementação:

 

Passo 1 – Vamos separar os componentes que precisamos:

 

1 botão do tipo push-button (tipo campainha)

 

1 chave  com 3 terminais

 

10 fios tipo jumper (macho e femea)

1 resistor de 10k

 

 

 

Passo 2 – Temos que desmontar o Expert e retirar a placa digital para podermos trabalhar

 

 

Passo 3 – Com a placa em mãos, veja no slot 2 onde vamos cortar o pino 4 (/SLOTSELECT) do conector Edge 50 do slot 2 . É o segundo terminal do lado direito do slot 2 (veja a foto abaixo). Você só precisa dar um pique com alicate de corte e corta-lo ao meio. Na minha foto ficou só o pedaço de cima. É que não tive cuidado e acabei quebrando o pedaço de baixo. Então quando for cortar tenha cuidado :). Basta cortar no meio.

 

 

Agora pegamos 2 fios e soldamos 1 em cada ponta que separamos. Veja que soldei um fio azul do lado macho do fio, pois depois iremos emendar a outra ponta com o lado fêmea desse fio. Esses fios vão agir como conectores. Assim quando precisarmos desmontar o Expert novamente, basta soltar o conector e pronto. É claro que vocês podem usar fios com conectores se desejar. Eu gosto de trabalhar com o que tenho à mão e como tinha esses fiozinhos macho e fêmea, resolvi usar.

 

 

Passo 4 – Agora vamos soldar o fio que terá o valor de 5v para usarmos com o botão de liga e desliga slot. Para isso precisamos achar na placa um ponto que forneça 5v e assim soldarmos o terceiro fio do botão de ligar e desligar slot. Eu achei esse da figura abaixo no resistor R2 ( soldar no lado indo para o fundo da placa ). Para achar esse ponto eu simplesmente coloquei a ponta negativa do multímetro no cristal X1 da placa e fui procurando onde dava 5v com ponta positiva do multímetro. Tem vários outros pontos, mas escolhi esse porque é perto da frente da placa e é fácil para soldar.

 

 

Passo 5 – Soldar a chave liga e desliga. Primeiro solde o resistor de 10k (pull up) num macho de um fio.

 

 

Agora solde na chave conforme na foto. Note as pontas dos fios macho e fêmea. Os fios que vão ligar o slot são o preto (que do outro lado vai encaixar com o fio que você soldou no passo 3) e o fio azul (também descrito no passo 3). O fio amarelo fica na outra extremidade da chave que vai no fio de 5V que você soldou no Passo 4 (fio vermelho).

É só fazer como na figura abaixo:

 

 

E aqui termina as soldagens para a Chave liga e desliga do Slot 2. Os próximos passos são para soldar as ligações para o botão RESET.

 

Passo 6 – Agora vire a placa digital com a face de baixo para cima e procure onde está soldado o conector do expansor de slots (O conector é o de 50 pinos que fica ao lado do conector da impressora).

Com a placa virada olhando da esquerda para direita as duas fileiras do terceiro pino é onde soldaremos mais 2 fios (deixe os terminais fêmeas na outra ponta dos fios). Veja na imagem abaixo:

 

 

É só soldar…

 

 

Coloquei uma fita, só para não escapar posteriormente.

 

 

Passo 7 – Agora vamos soldar mais 2 fios no botão que será o RESET, veja mais uma vez que no passo 7 soldei 2 fios fêmeas e agora no botão estou soldando 2 fios macho. Só para lembrar que vão agir como um conector no final.

 

 

Pronto. Aqui se encerram as soldagens. Os próximos passos é a montagem, testes e a montagem final.

 

Passo 8 – Conectando tudo

Ligue os fios preto e azul nos macho/fêmea correspondentes a chave liga/desliga do slot. ligue o fio amarelo no fio vermelho (correspondente aos 5 volts que achamos na placa), note que na imagem esse ponto está diferente, pois no Passo 4 ligamos o fio vermelho no resistor R2. É que esse outro ponto também dá 5volts, mas resolvi trazer para o resistor R2 que fica mais perto da borda da placa.

Ligue os fios preto e laranja nos macho/fêmea correspondentes ao botão de RESET.

Um detalhe. Eu não montei a frente, só coloquei a placa no lugar liguei os conectores dela e liguei o conector dos slots (é o conector que tem esses fios cinzas que vem da tampa do slot), porque senão o Expert não liga.

 

 

Agora liguei o Expert e testei o botão de RESET primeiro e funcionou perfeito.

Desliguei o Expert, coloquei um cartucho (ligue-se ao Expert) no slot 2 e coloquei a chave no lado zero (ligado). Entrou liso o programa.

Desliguei o Expert novamente, troquei a posição da chave para I (desligado) e liguei o Expert novamente. Caiu no Basic, como tinha que ser, pois ele desligou o slot e não achou o cartucho.

Fiz os mesmos testes com o cartucho SCC agora. Nas duas primeiras imagens abaixo está com a chave desligada. Executei o Execrom só para ver se ele achava o SCC como disponível. Note que ele diz que não tem SCC na primeira imagem. Já na segunda imagem liguei o botão do slot 2 e executei o Execrom novamente, agora sim ele achou o SCC. Provando assim que tudo estava funcionando conforme projetado.

 

SLOT 2 DESLIGADO

 

 

 

 

SLOT 2 LIGADO

 

 

 

É isso pessoal, espero que não tenha complicado muito na explicação. Mas qualquer dúvida pode deixar um comentário aqui que respondo.

Até o próximo artigo.

 

Botão Reset para MSX Expert da Gradiente e Botão Liga/Desliga Slot

 

 

 1,294 total de visualizações,  10 visto hoje

Lista de Monitores que aceitam 15 kHz

Lista de Monitores que aceitam 15 kHz

 

É fato que todos nós queremos usar nossos computadores antigos ou videogames na melhor definição possível.

Com base nessa ideia  estamos sempre a procura de monitores que aceitem 15 kHz (15.7 kHz na verdade) em sua varredura horizontal

(informações no wikipedia). Porquê? Porque somente esses monitores são compatíveis com nossas amadas máquinas.

Mas nem tudo é simples, a maioria dos manuais dos monitores não trazem essa informação de mão beijada. Então só testando mesmo.

Abaixo segue a compilação de uma Lista de Monitores que aceitam 15 kHz e também de Monitores que não são compatíveis com essa frequência:

 

Instale também, para maior comodidade, nosso aplicativo com a lista de monitores e tenha essa informação a qualquer momento na palma de  sua mão.

 

 

 

Pesquisar Monitores

Procurar Monitor:    

Na maioria dos casos, basta montar um cabo RGB para VGA com a pinagem correta para cada equipamento e pronto.

Outros computadores ou consoles precisam de um circuito adicional para separação de sincronismo. Nesse caso será necessários verificar a

especificação de cada equipamento utilizado para confeccionar o cabo.

 

 

Essa lista é alimentada com informações dos próprios usuários e de compilação de outras listas

Caso existam quaisquer divergências nessas informações, por gentileza, comunique-nos que efetuaremos as devidas correções.

 

Ajude a comunidade, envie informações sobre monitores compatíveis ou

incompatíveis para melhorar nossa lista.

 

 

Lista de Monitores que aceitam 15khz

Baixe também nosso aplicativo com todos os Monitores. 

Uma comodidade a mais no seu celular.

 

 6,547 total de visualizações,  9 visto hoje

Instalando uma Fonte Externa no MSX Hotbit da Sharp

Instalando uma Fonte Externa no MSX Hotbit da Sharp

 

 

Instalar uma fonte externa no Hotbit da Sharp é muito fácil. Depois de instalar no Expert da Gradiente os resultados foram tão bons que resolvi fazer no Hotbit também.

Alguns não gostam de alterar o computador original, mas digo a vocês, vai ficar muito melhor. E mais, as alterações que estão sendo propostas nesse artigo podem ser desfeitas a qualquer momento, caso se arrependam, pois não precisa furar nada no Hotbit.

 

O Adaptador

 

O Adaptador que vamos utilizar é o Adaptador para Fonte Pico 160W ITX. 

É esse aqui da figura abaixo:

 

 

 

 

 

 

A especificação do adaptador:

 

  • Tensão de entrada: + 12 V/DC (11.4-12.6 V)
  • Corrente de entrada: Max. 17A
  • Saída ATX: 160 W
  • Correntes de saída: + 12 V: 8A
                                 + 5 V: 8A
                                 + 3.3 V: 8A
                                 + 5VSB: 1.5A
                                 – 12 V: 0.1A
  • Potência De saída: 160 W
  • Eficiência de energia:> = 92%
  • Temperatura de operação: 0 ~ 40
  • Temperatura de armazenamento:-20 ~ 80

 

Existem outros modelos que suportam uma potência maior, mas acredito que mais que isso já vira exagero, mesmo porque o consumo de um Hotbit é de 24W sem os cartuchos.

 

No Adaptador precisamos utilizar as seguintes tensões para alimentar nosso MSX: GND, 5v, 12V e – 12V.  Nesse projeto também vamos usar o sinal do pino de INIBIT.

 

O adaptador que usei acima é o ATX 2.0.

Para ter certeza, use sempre o multímetro para testar a pinagem que vai usar, ou seja com as tensões que falamos acima.

Segundo passo: Precisa um conector do mesmo tipo que encontramos em placas mãe de pc. Não é obrigatório, mas vai facilitar muito na hora de fazer o chicote de conexão.

 

 

Com o conector em mãos.

 

Usei 5 fios apenas:

  • AZUL (que fornece -12v)
  • PRETO (GND)
  • VERDE (INIBIT)
  • VERMELHO (que fornece 5v)
  • AMARELO (que fornece 12V)

 

É Isso basicamente que vamos usar para conectar nossa fonte Externa.

ABRINDO O HOTBIT

 

Vire o Hotbit colocando o fundo para cima. Retire os 4 parafusos com chave Philips que ficam nas 4 extremidades do micro.

Desvire o Hotbit e levante a tampa superior devagar e com cuidado, pois tem uma conexão do teclado ligado na placa principal do Hotbit.

 

 

 

Solte o conector do teclado para facilitar o trabalho (é só puxar segurando no conector e com cuidado).

Pronto, agora já podemos ver o Hotbit todo aberto e a fonte monstruosa e pesadona (mais a direita) que vamos retirar toda.

 

 

Para retirar a fonte, basta soltar os 6 parafusos que a prendem no gabinete. Estão basicamente onde marquei os círculos vermelhos na figura abaixo:

 

 

Depois de retirar os parafusos veremos que para solta-la totalmente basta desconectar o conector que liga a fonte ao cabo de energia.

É só desconectar.

 

 

Pronto a fonte já está solta. O próximo passo é dessoldar o conector que liga a fonte à placa do Hotbit. Note que tem certinho a marcação na fonte dos valores de gnd, 5v, inhibit, -12v e 12v. Marque os fios pois são esses que vamos utilizar para fazer o nosso chicote de ligação como o adaptador.

 

 

Vai marcando as cores e posição para não errar nesses pontos, senão pode danificar seu Hotbit, ok. 

 

Dessolde o cabo de energia do conector de extensão e do botão de ligar/desligar. O conector para extensão de energia, não vai mais poder ser usado, pois não temos alimentação para ele. Agora solde 2 fios no botão liga/desliga. Esses dois fios serão ligados no nosso adaptador ITX para ligar e desligar o computador.

No caso do fio de energia, ele pode ser retirado, basta soltar da carcaça do Hotbit e dessoldar os fios.

Guarde tudo, a fonte, os parafusos e o cabo de energia. Se um dia quiser reverter essa alteração é só voltar com esses itens.

 

 

Agora vamos colocar um pedaço de plastico conforme a imagem abaixo, no lugar onde ficava preso o cabo de energia. Esse procedimento é necessário para não ter que furar o gabinete do Hotbit e deixar um bom acabamento do trabalho.

 

 

Cortei um pedacinho de plástico rígido preto de aproximadamente 2 cm x 3 cm e fiz um furo de 8 mm para encaixar na posição de onde prende o cabo de energia e que agora ficará o conector para a fonte externa.

 

 

O próximo passo é soldar os fios do conector que dessoldamos da fonte do Hotbit no conector macho de 24 pinos ATX que retirei da placa mãe do PC. Vai ficar como na figura abaixo:

 

 

 

 

A ligação ficou :

CONECTOR ITX MACHO CONECTOR HOTBIT VALOR
AZUL VERMELHO -12V
PRETO MARROM GND
VERDE AMARELO INIBIT
VERMELHO VERDE 5V
AMARELO LARANJA 12V

 

IMPORTANTE: Sempre utilize o multímetro para conferir os valores. Apesar de simples, não pode errar, ok. E outro ponto: se tiver algum Hotbit fora dessa especificação, precisa verificar. Nunca se sabe.

 

Pronto o chicote pronto ficou assim:

 

 

Próximo passo: Pegue o adaptador e corte o fio vermelho no meio. Ligue cada pedaço do fio no interruptor do Hotbit. Conforme a imagem abaixo:

 

 

Agora é só montar o chicote ligado no adaptador ITX e no Hotbit, conforme a imagem abaixo:

 

 

Agora é ligar a fonte externa e testar se está tudo ok.

 

Coloquei essa fonte aqui:

 

 

 

 

A fonte tem que ser 12V (obrigatório) por causa do adaptador e a amperagem comprei com 10A, que acho que é mais que o suficiente para o Expert com cartuchos e tudo mais. Tem dessa fonte com amperagem maior, mas creio que seja besteira comprar. Além disso o preço praticamente dobra.

 

 

 

Teste tudo antes de fechar o Hotbit:

 

Vejam as imagens do Hotbit já com a fonte Externa.

 

 

 

 

 

 

Funcionou perfeitamente

 

Na imagem o Hotbit está com a MA-20 e um SD Mapper. Ficou um 2.0 bacana.

 

Conclusão

 

A fonte ficou show, recomendo fortemente colocar.

 

Méritos da Solução:

  • Dá para colocar em qualquer MSX, pois tem as tensões necessárias
  • Fica silencioso
  • O som do Hotbit deixa de ter aquele barulho de interferência por causa da fonte interna.
  • O adaptador é pequeno
  • Achei a solução mais limpa.
  • Agora é Bivolt
  • É reversível, pode voltar como original

 

Testem e comparem por si mesmos, 

 

Abraços a todos e até próximo artigo.

 

 

Instalando uma Fonte Externa no MSX Hotbit da Sharp

 

 768 total de visualizações

Fonte Externa no MSX Expert Gradiente

Fonte Externa no MSX Expert Gradiente

 

 

Oi pessoal, hoje coloquei no meu MSX uma fonte externa. Qual o MSX? Nesse caso o Expert da Gradiente, um de meus preferidos. O Expert da Gradiente é uma paixão devo dizer. Além do fato de que foi o primeiro computado de muita gente, inclusive o meu, tem uma nostalgia impar.  Foram produzidos muitos no Brasil e por essa razão nos permitem altera-lo para melhora-lo. Ainda no contexto ele possui espaço interno para fazermos muitas coisas com o bichinho.

Para que alterar o Expert? Bom, no meu caso eu gosto de experimentar coisas diferentes nos computadores para saber se funcionam ou mesmo se melhoram. Mas vai do gosto de cada um.

Bom, sem mais blá, blá, blá… vamos as modificações:

 

O Adaptador

Quando vi esse adaptador para gabinetes mini ATX me surgiu a idéia para usa-lo no Expert da Gradiente.

É esse aqui da figura abaixo:

 

Pensei…. se funcionar vai ser legal. Então comprei uma para testar.

Já sabemos que podemos colocar a fonte de um PC (AT/ATX/MINI ATX) dentro do gabinete do Expert. Então provavelmente esse adaptador com uma fonte externa deve funcionar do mesmo jeito.

Vamos ver!!!

 

 

 

 

 

A especificação do adaptador:

 

  • Tensão de entrada: + 12 V/DC (11.4-12.6 V)
  • Corrente de entrada: Max. 17A
  • Saída ATX: 160 W
  • Corrente de saída + 12 V: 8A
  • Corrente de saída + 5 V: 8A
  • Corrente de saída + 3.3 V: 8A
  • Corrente de saída + 5VSB: 1.5A
  • Corrente de saída-12 V: 0.1A
  • Potência De saída: 160 W
  • Eficiência de energia:> = 92%
  • Temperatura de operação: 0 ~ 40
  • Temperatura de armazenamento:-20 ~ 80

 

Existem outros modelos que suportam uma potência maior, mas acredito que mais que isso, já vira exagero.

 

Quando chegou em minhas mãos (claro que não veio nenhum tipo de manual, os caras sempre acham que não precisa porque é só plugar e sair usando) peguei um multímetro para testar se os pinos desse adaptador forneciam GND, 5v, 12V e – 12V.  Ou seja, as tensões obrigatórias para o MSX funcionar.

Como não sei quais são valores dos pinos de cabeça, fui ao “pai dos burros”,  o google e achei a correspondência das pinagens.

O adaptador que comprei, acima, é esse ATX 2.0.

Para ter certeza, peguei o multímetro e fui testando os pinos que iria usar. Identifiquei que estavam certinhos conforme a foto acima.

Segundo passo, queria o outro conector, o que fica na placa mãe do PC o qual esse conector serve. Não estava afim de procurar para comprar, então peguei uma placa mãe queimada e comecei a dessoldar o conector. Meu Deus, que trampo…. não recomendo…. só se tiverem a manha de dessoldar… (que não é meu caso), era preferível comprar um conector novo.

 

 

Com o conector em mãos ( na boa…  se não tiver conector, descola uns pinos solda uns fios e coloca no seu adaptador, o importante é ficar firme e sem mal contato ).

 

 

Não precisamos usar todos os pinos, então soldei o fios das cores iguais ao adaptador das fontes ATX comuns o qual havia guardado quando retirei anteriormente de fontes queimadas (imagem abaixo).

 

 

Usei 6 fios apenas:

  • O AZUL (que fornece -12v)
  • 1 PRETO (GND)
  • 1 VERDE (Usado para ligar a fonte)
  • 1 PRETO( GND – Para usar junto do o verde na ligação da fonte)
  • 1 VERMELHO (que fornece 5v)
  • 1 AMARELO (que fornece 12V)

 

Depois de soldado ficou assim:

 

 

É Isso basicamente que vamos usar para conectar nossa fonte Externa.

 

 IMPORTANTE: No Expert a Fonte original fica junto com a placa analógica, então se o Expert ainda não está adaptado para uma fonte de PC, tem que obrigatoriamente seguir o tutorial da MSX-Pró “Fonte Chaveada no Expert Cinza” sobre como fazer isso. Depois de concluída essa etapa, volte e continue com esse tutorial.

 

ABRINDO O EXPERT

 

Bom, não vou me ater a explicar com abrir o Expert, pois o artigo vai ficar muito longo e isso já está explicado no tutorial da MSX-Pró.

Dessa forma, vamos ao que interessa:

Comece retirando a tampa e a frente do Expert.

Com o Expert, aberto (note que o meu já está com uma fonte ATX). Retire a placa digital (a de cima) para conseguir fazer tudo que será necessário.

 

 

 

Agora com a placa digital retirada, já podemos ver a fonte ATX.

 

 

Retire a fonte ATX por completo e refaça o conector que vai na placa lógica do expert com o fios que deixamos disponíveis no nosso adaptador.

 

 

Preste bastante atenção para não ligar errado ok.

Ficaram 2 fios sobrando, o verde e um dos pretos. Esses servem para ligar/desligar a fonte. Então vamos ligar cada um deles nos terminais do botão liga e desliga do Expert.

 

 

Depois de soldado pode recolocar o botão no gabinete do Expert novamente.

 

Agora vamos acertar os fios que ficaram referente aos conectores ou extensões da traseira do Expert e a chavinha seletora de voltagem.

 

Vai ficar assim, dos dois fios quem vem da rede elétrica, um vai para o terminal inferior e o outro vai para um dos terminais do fusível. Preste atenção para não fechar curto nesses terminais, confira antes de ligar para testar. Veja a figura abaixo com ficaram as ligações:

 

 

A ligação da chavinha seletora de voltagem não tem mais função pois a fonte externa já é bivolt (olha que legal). Então só deixe no gabinete para manter a estética.

O mesmo se diz dessas ligações de energia. Eu particularmente gosto dessas extensões para ligar um monitor ou outro dispositivo que precise, então deixei dessa forma. Se no seu caso você não quiser que isso fique funcional para usar, então é só cortar o fio de energia e retira-lo (fica a critério do freguês).

Resolvi colocar o adaptador ATX dentro de uma caixinha plástica, só para não ficar solto dentro do gabinete e correr o risco de encostar na carcaça do Expert e fechar algum curto.

 

 

 

 

No final vai ficar algo como a figura abaixo:

 

 

Note que essa ligação onde tem os conectores para drive e hd, eu estou usando para alimentar 12v num botão de reset que possui iluminação. Eu já tinha colocado anteriormente na frente do meu Expert, por tanto é opcional, mas já fica a dica de que esses conectores você pode alimentar o que precisar a mais dentro do seu Expert.

Dica: O Botão Reset que estou usando é um push button normalmente aberto que ligo na placa digital do Expert, conforme o artigo da revista CPU MSX 07, que se interessar podem baixar no site  Datacassete.

 

 

Mas como disse, não é foco desse artigo.

 

Continuando…..

 

Agora só falta colocar o conector para ligar nossa fonte externa no gabinete do Expert. Escolhi o ponto abaixo, mas você pode escolher outro local. Fica a critério.

 

 

E para isso utilizei uma broca cônica para o furo. Aliás, se você não tem, compre. Essas brocas são excelentes para furar certinho chapas de plástico ou ferro. Aprovadas!!!

 

 

Feito o furo,  agora é só instalar o conector. O furo foi até a posição 8 mm, marcado na broca.


 

Pronto agora vai ficar assim;

 

 

Olha o espação que sobrou dentro do gabinete. Dá para colocar uma GBS futuramente ou outra coisa. A imaginação é o limite.

 

Acabando de montar:

 

 

Ah! Mais uma dica. Que ninguém brigue comigo hein. Estão vendo o Z80. Então, eu coloquei cola quente para mante-lo no lugar, pois sempre dava mal contato, as vezes de manhã, quando esfriava, as vezes a tarde quando esquentava e por ai vai, tinha que ficar abrindo o gabinete toda hora… maior m…. Então vi esse procedimento em algum outro micro e pensei, pode ser que resolva meu problema.

Vou te falar, resolveu e resolveu muito bem, nunca mais deu problema, liga o micro e ele inicia perfeitamente de primeira.

Sei que o colegas profissionais vão dizer que o certo é trocar o soquete, mas entendam…. dessoldar o soquete e não causar nenhum dano para a placa… só para profissionais (não é o meu caso). Então perdoem a solução utilizada.

 

Seguindo….

 

Agora é ligar a fonte externa e testar se está tudo ok.

 

 

Comprei essa fonte aqui:

 

 

 

 

A fonte tem que ser 12V (obrigatório) por causa do adaptador e a amperagem comprei com 10A, que acho que é mais que o suficiente para o Expert com cartuchos e tudo mais. Tem dessa fonte com amperagem maior, mas creio que seja besteira comprar. Além disso o preço praticamente dobra.

 

 

Só um detalhe, verifique se o plugue da fonte é compatível com o plugue do seu adaptador. Eu comprei e era quase… hehehhe… ou seja não servia. Então fiz um adaptador de um plugue que tinha aqui de outra fonte queimada de notebook. Aliás, sempre guardo os plugues de outras fontes, seeeeempre se vai precisar de um.

 

 

 

Agora os testes:

 

Vejam as imagens do Expert já com a fonte Externa.

 

Funcionou perfeitamente

 

Sem tremores

 

Limpo

 

 

 

 

Usando 2 cartuchos, uma SD Mapper e uma Megaram

 

 

 

Conclusão

 

A fonte ficou show, recomendo fortemente colocar. Duas características que me saltaram aos olhos:

A primeira é que acabou aquele barulho infernal da ventoinha rodando dentro do gabinete. Silêncio só para curtir o MSX.

A segunda e a mais legal de todas é que quando havia uma fonte ATX dentro do gabinete, a imagem ficava meio que flutuando, quando ligava o micro. Eu já tinha colocado umas 2 fontes ATX diferentes e o resultado era o mesmo, parecia uma interferência com o video. Agora com a fonte externa isso acabou, a imagem ficou fixa, perfeita nesse sentido. 

Além disso, a solução tem outros méritos:

  • Dá para colocar em qualquer MSX, pois tem as tensões necessárias
  • O adaptador é pequeno
  • Achei a solução mais limpa.
  • É Bivolt

 

 

Testem e comparem por si mesmos, 

 

 

Abraços a todos e até próximo artigo.

 

 

Fonte Externa no MSX Expert Gradiente

 

 938 total de visualizações

MA-20 Transforme seu MSX1 em um MSX2 via Cartucho

MA-20 Transforme seu MSX1 em MSX2 via Cartucho

Recentemente adquiri um cartucho MA-20 fabricado pelo amigo Luis Fernando de Luca.

Mas o que é esse cartucho e o que ele faz?

Esse cartucho nada mais é do que um dispositivo que faz seu MSX1 virar um MSX2 sem precisar alterar nada internamente no MSX.

Sim, é isso mesmo, você pluga o cartucho e voilà seu MSX 1 vira um MSX 2 com quase tudo que tem de direito.

Na verdade o Cartucho MA-20 foi criado inicialmente nos anos 80. A versão era chamada de NEOS MA-20 (V) e NEOS MA-20 (R). Eram 2 cartuchos para fazer o MSX1 bootar como um MSX 2. Mas como tudo evolui, o Luis redesenhou e melhorou muito esse cartucho. Fazendo com que o mesmo se tornasse um único cartucho e, sem dúvidas, mais poderoso.

Especificações

  • Vem com a versão Basic 2.0
  • Possui VDP V9958
  • Vem com 512kb de mapper interno
  • Possui um conector de slot expandido para ligar por exemplo: uma megaram, um jogo feito para versão 2.0, um cartucho FM, etc…
  • Possui 3 saídas de vídeo em 15 KHz: uma S-Video, uma VGA e uma de Video Composto (CXA2075)
  • Possui 4 tipos de ROMs de teclado configuráveis via jumper: Expert, Hotbit e Internacional 50 Hz e Internacional 60 Hz
  • Chave para selecionar uma Fonte de Energia Externa
  • Vem em uma Caixa Personalizada em Acrílico Black Piano

Informações de fontes Externas e Compatibilidade

Existem alguns materiais na internet mostrando o cartucho MA-20 em ação, desses destaco dois vídeos: um feito por Max Demian Brito Borges e outro feito pelo próprio autor da MA-20 BR Luis Fernando de Luca.  Ambos podem ser vistos nos vídeos abaixo respectivamente:

https://youtu.be/h5Px3Fy5l1c.

Existe também uma iniciativas de listar quais jogos são compatível com o cartucho MA-20.

Uma dessas iniciativas é do Max Demian Brito Borges, que compilou uma listagem bastante curiosa de jogos que são ou não compatíveis com o cartucho MA-20.

Segue o link para que vocês possam acompanhar ou até mesmo contribuir com a lista:

MA-20 Lista de Compatibilidade

Além da lista acima, que trata apenas de jogos, fiz um teste tentando executar o SymbOS e não funcionou, gerou a seguinte mensagem de erro:

** BOOTING ABORTED **

VDP detected at a wrong port.

SymbOS MSX requires the base port at #98.

Depois de algumas pesquisas encontrei no site do B@ss a resposta para isso transcrito no trecho abaixo:

“O MSX tem como padrão a saída de vídeo endereçada de 98h à 9Bh, mas prevê a possibilidade de um endereço reservado para o uso de um VDP auxiliar endereçado de 88h à 8Bh.”

Quer dizer que o SymbOS faz uma verificação durante sua inicialização da porta do VDP principal e como o Cartucho MA-20 tem um VDP endereçado na porta auxiliar, o SymbOS não inicializa. Ou seja, o software precisa de um tratamento ou um patch para poder funcionar com o cartucho MA-20.

Informações e Orientações Importantes

Gostaria de listar algumas informações e orientações importantes que compilei nos fóruns e afins, referente a dúvidas, utilização e sugestões dos usuários desse produto. Essas informações são fundamentais para quem já tem uma MA-20 ou quem está aguardando a sua chegar ou mesmo para quem deseja adquirir uma.

  1. O slot que vem no cartucho MA-20 é um slot já expandido (Se você pretende plugar uma IDE ou SD Mapper nesse slot, precisa necessariamente desligar a mapper para a mesma possa funcionar junto com o cartucho MA-20) .
  2. Ligar o cartucho MA-20 em um MSX 2+ ou Turbo R funciona, entretanto, o MSX vai ficar como um MSX 2.0. Ocorre, portanto, um downgrade do mesmo.
  3. É altamente recomendável ligar uma fonte externa no cartucho MA-20, pois a carga de energia extra acaba por causar comportamentos estranhos e até travamentos no MSX. Para isso basta plugar uma fonte de 5v de 1A ou mais. Com esse procedimento, você vai notar que a estabilidade da MA-20 com seu MSX melhora cem por cento. A chave lateral no cartucho MA-20 é a responsável em selecionar a utilização da fonte de energia interna do MSX (chave ligada para o lado do slot do seu MSX) ou utilizar uma fonte de energia externa (chave ligada para o lado oposto ao slot do seu MSX).
  4. Alguns MSX enviam o reset muito rápido e o cartucho MA-20 não detecta. Nesse caso o computador poderá travar na tela de boot. A forma de resolver isso é pressionar o botão reset do seu MSX. Obs. desligar e religar não irá resolver. Outra forma de resolver isso, pelo menos no Expert da Gradiente, é colocar uma fonte externa ligada no cartucho.
  5. A ROM instalada no cartucho MA-20 é 2.0, mas o VDP já é o V9958 e, assim agregando melhorias encontradas num MSX 2+. Isso quer dizer que, por exemplo, o jogo Space Manbow já funciona com scroll fino do modo 2+.
  6. Funciona em todos os MSX nacionais, incluindo o Expert 1.0, Expert 1.1, Expert Plus e o Expert DD Plus, além é claro, dos Hotbits.
  7. O cartucho MA-20 tem 2 ROMs: A ROM 2.0 e também a SUB-ROM, com isso são ocupados 2 Slots. Na sequência o cartucho MA-20 também possui internamente uma Mapper de 512 kb, ou seja, utiliza mais um slot. Até esse momento sobrou 1 slot, que é justamente o que está disponível no cartucho MA-20 para colocar seus próprios cartuchos. É por isso que ao colocar uma IDE com mapper no slot disponível do cartucho MA-20, também é necessário  desligar a mapper da IDE ou SD mapper para o conjunto todo funcionar.

Conectores

Na foto abaixo mostramos todos os conectores que estão disponíveis pelo cartucho MA-20:

Note que com todos esses conectores, tem-se inúmeras opções de visualização, para quaisquer monitores e MSX você desejar.

Chaves de Configuração

O cartucho MA-20 oferece dois pontos de configuração:

1. O primeiro ponto de configuração é a seleção da fonte de energia que será utilizada durante a operação do sistema.

Na figura acima fica claro a posição que a chave lateral deve estar para selecionar uma das duas formas de alimentação do Cartucho MA-20. Mais uma vez, é importante frisar que o uso de uma fonte externa é altamente recomendável para não dizer essencial.

2. O segundo ponto de configuração é definido por 2 jumpers que tem a função de selecionar o teclado que seu MSX usará.

São dois jumpers que combinados vão servir para configurar o teclado do MSX. Abaixo segue uma ilustração de testes que realizei com alguns MSXs e as devidas posições de configuração para cada teclado.

Infelizmente, o “Padrão” MSX tem diversas variações na posição das teclas, mas acredito que essa ilustração de configuração vai ajudar bastante a instalação do Cartucho no seu MSX.

A utilização desses jumpers pode resolver inclusive os problemas de alguns MSX que são de 50 Hz ou 60 Hz. Vale a pena testar.

Então é isso. Acredito que consegui reunir o maior número de informações relevantes ao Cartucho MA-20. Possivelmente novas informações podem chegar e estarei colocando aqui no artigo. Para os que quiserem contribuir com alguma informação ou sugestão pertinente, sintam-se a vontade para comentar.

Etiquetas

E por último e não mais importante, deixo um arquivo do Photoshop contendo as etiquetas que fiz para meu Cartucho MA-20. Afinal um produto dessa qualidade merece uma etiqueta gold.

Etiquetas para o Cartucho MA-20

Veja como ficou:

Parte da Frente

Parte de trás

Plugue para Fonte de Energia Externa

Chave para Selecionar o tipo de Fonte de Energia

É isso aí, até a próxima.

MA-20 Transforme seu MSX1 em MSX2 via Cartucho

 1,603 total de visualizações,  1 visto hoje

MSX Expert sem Memória interna

MSX Expert  sem Memória interna

Sabia que é possível inicializar o MSX Expert da Gradiente sem sua memória interna. Veja esse artigo e saiba como fazer isso.

Sei que isso não é possível, mas nesse artigo, que mais é uma dica que um artigo propriamente dito, trago uma experiência que tive nesse processo.

Estava modificando meu Expert para colocar um botão de reset (que sabe-se lá porque a Gradiente não colocou esse botão no micro), conforme o artigo da revista CPU MSX 07, que se interessar podem baixar no site do Datacassete.

Acontece que depois de desmontar o Expert, aproveitei para limpar a placa lógica e depois de tudo pronto, cadê que o micro inicializava.

Mesmo sabendo que não ia funcionar coloquei o cartucho Mega Mapper SD que o Maluf fabrica e comercializa e que convenhamos é uma interface show de bola, pois é completa para nosso uso.

 

MSX Expert  sem Memória interna

 

O resultado foi que o micro inicializou normalmente.

Qual o segredo? Depois de pensar um pouco vi que ao colocar o cartucho Mega Mapper com a chavinha para escolher entre Megaram ou Mapper na posição Mapper.

Concluí que o Expert usou a memória Mapper do cartucho e inicializou normalmente.

Fiz até um teste, retirando todos os chips de memória do Expert e continuou inicializando normalmente.

 

MSX Expert  sem Memória interna

 

Conclusão

O fato é que pela idade do computador e a qualidade dos soquetes, acaba por dar muito mal contato nos terminais.

De qualquer forma, para que serve tudo isso?

Bom, essa dica vai permitir  testar aquele Expert que você tem encostado e só liga e não inicializa, se você não sabe se pode ser memória ou outra coisa pode usar essa técnica. Se o micro inicializar pode ser ou mal contato ou algum chip de memória ruim. Fica sendo um teste simples, liga o micro, coloca o cartucho com a chave ativada na posição Mapper e pronto, já da para saber se o problema é apenas memória.

No meu caso, retirei os chips borrifei limpa contato, coloquei as memórias novamente e o micro inicializou. Mas se você tiver em mãos álcool isopropílico é bem mais indicado.

 

MSX Expert  sem Memória interna

Não sei se dá para fazer isso com qualquer MSX o jeito é testar mesmo, o Expert que utilizei foi o 1.0.

Bem, é isso aí, fica a dica.

 

MSX Expert inicializando sem Memória interna

 546 total de visualizações

Casemod Monitor Mbw-12 Gradiente com Monitor Samsung 510N

Casemod Monitor Mbw-12 Gradiente com Monitor Samsung 510N

Hoje venho compartilhar com vocês uma Casemod que resolvi fazer com o Monitor Mbw-12 da Gradiente, aquele que faz um belo par com o Expert.

Esses monitores da gradiente são muito ruins e de tão antigos, começam a dar mal contato e problemas.

Um dia peguei um para limpar e pronto, já parou de funcionar.

Como não estava afim de mandar consertar e tinha um monitor Samsung 510N que estava num canto,  que por sinal, funcionava perfeito, pensei…. porque não?

Afinal, apesar de ser nostálgico a tela verde do MBW-12, quando se carregava um jogo é meio chato não ver todas as cores como se via em um monitor colorido.

Então decidi fazer o casemod.

Antes de iniciar é importante dizer que queria fazer algo rápido (pois paciência não é meu forte) e com os materiais que tinha em casa, não queria gastar dinheiro com isso.

Dessa forma, sei que em algumas partes desse artigo, você vai sentir vontade de melhorar. Fique a vontade, afinal esse é o jeito que montei, mas tenho certeza que dá para fazer muito mais. A imaginação é o limite.

Bom… vamos começar a brincadeira.

Desmontando o monitor Gradiente MBW-12

monitor-mbw-12-front

Monitor MBW-12 da Gradiente

Frontal

monitor-mbw-12-back

Monitor MBW-12 da Gradiente

Trazeira

monitor-mbw-12-back-parafusos

Primeiro passo: retire todos os parafusos da parte trazeira

monitor-mbw-12-back-all-parafusos

Guarde todos, pois alguns serão necessários para montagem novamente.

Neste ponto retire todos os parafuso que você está vendo. Inclusive já pode retirar os parafusos que se encontram na parte de baixo do monitor, o objetivo final é ficarmos somente com a carcaça desse monitor.

monitor-mbw-12-open

Retire a tampa traseira e desconecte a placa do canhão do tubo, conforme a figura a baixo

monitor-mbw-12-desconnect-canhao

Retire os outros parafusos que sobrarem, sempre guardando estes parafusos e rotulando os mesmos para colocar no lugar certo no momento da remontagem.

monitor-mbw-12-desconnect-led

Desconecte o conector do LED da placa mãe

monitor-mbw-12-desconnect-fusivel

Dessolde os fios que ficam no fusível

monitor-mbw-12-desconnect-power

Dessolde também os fios que ficam no botão power do monitor

Nesse ponto já pode remover o tubo e a placa mãe do monitor, junto com a carcaça plástica que a sustenta.

monitor-mbw-12-last-parafusos

Se não removeu, remova os parafusos que prender a tela da frente da parte do meio do monitor.

monitor-mbw-12-ok

Vai ficar assim, a tela frontal do monitor e a parte que prende a mesma, já separadas para podermos re-utilizar

monitor-mbw-12-board-down

Agora pode retirar os parafusos que prendem a placa mãe do monitor da parte plástica, pois essa parte plástica vamos precisar para montar o monitor.

O cabo de força pode cortar na parte de dentro pois vamos usa-lo também.

A segunda parte é desmontar o monitor Samsung 510N

samsung-510n

Vire o monitor e retire os parafusos que prendem a base. Retire a base do monitor.

Retire também os 2 parafusos que ficam nas laterais de baixo do monitor.

Agora a tampa só está encaixada. Use um cartão de crédito velho ou uma paleta de tocar guitarra para ir desencaixando a tampa traseira.

samsung-510n-back

Logo que remover a tampa vai ver uma carcaça de ferro, remova-a também.

Vai ficar como na imagem abaixo.

samsung-510n-open

Desconectar e desparafusar a placa de controle de menus do monitor. Vamos precisar dela para colocar no outro monitor.

Retire os parafusos das laterais da tela de lcd, esses parafusos prendem a tela LCD na carcaça frontal do monitor.

Soltando esses parafusos laterais, o display já estará solto.

Desconecte todos os cabos entre o LCD e as placas de fonte e lógica.

samsung-510n-abas-cortadas

Nesse ponto, precisa cortar um pedaço da carcaça dos dois lados da placa de ferro onde suportam a placa de fonte e lógica do monitor.

Isso é necessário pois somente a tela de lcd encaixa certinho na frete do monitor MBW-12 e essas abas irão atrapalhar.

Usei uma serra Makita para cortar as duas abinhas da esquerda e da direita, mas acho que dá para dobrar também se achar melhor.

Depois de cortado, pode conectar os cabos novamente entre o LCD e as placas lógica e fonte.

Agora vamos a montagem…..

Pegue a tela de LCD juntamente com as placas lógica e fonte que estarão na mesma posição (display na frente placas atrás)

e encaixe na tela frontal de plástico do monitor Gradiente.

casemod-montagem-tela1

Alinhe a tela na parte de cima, pois embaixo vai sobrar um espaço mesmo.

Você vai ver que é bem a conta para entrar no espaço do MBW-12, eu peguei uma faquinha e raspei nas laterais (esquerda e direita) do MBW-12 para ir encaixando certinho o LCD.

Para prender o LCD e o mesmo não cair, coloquei um 4 gotas de araldite nos quatro cantos onde o display LCD toca a carcaça do MWB-12.

Pode ser outra cola, mas é a que eu tinha em mãos.

Pode até dizer que colar não é legal, mas como são nos 4 pontos apenas, as placas (que estão atrás do display) estarão livres para manutenção, além disso se o display pifar, vai acabar tendo que substituí-lo inteiro e terceiro, é pouco araldite, puxando com um pouco mais de força solta, tranquilamente.

Agora a parte traseira como ficou:

Vai ficar assim, depois que já parafusei a parte do meio do monitor para segurar o conjunto todo.

Para acomodar melhor a placa da fonte, cortei um pedaço da lateral da frente do monitor,

só para não ficar pegando na placa e deixar a mesma livre sem ficar apertando seus componentes.

Esse adesivo da gradiente, tirei do próprio monitor antigo, colei na parte preta e depois cobri com contact.

Na parte de trás fiz o seguinte retirei o porta fusível e o cabo de força original do monitor MBW-12 e colei um adesivo, que nada mais é que um quadrado preto com contact para proteger. Usei os próprios furos da traseira do monitor para colocar novamente o cabo de força, o porta fusível e o cabo VGA do monitor.

O cabo VGA eu peguei de um monitor CRT velho que estava estragado, cortei a ponta que entrava no monitor velho e passei por um dos buracos que ja existiam na traseira do MBW-12, depois soldei um conector db-15 novo na outra ponta já na parte de dentro do MBW-12 e pluguei na entrada do monitor Samsung, conforme a figura abaixo. Nesse artigo não vou detalhar como fazer um cabo VGA, pois tem muita informação na internet já disponível. O mesmo vale para como conectar um monitor 510N no msx e outros consoles.

O cabo de força fiz parecido com a idéia do cabo VGA, peguei um cabo de força, desse para pc, cortei a ponta e soldei no cabo de força original do MBW-12.

Fiz a ligação desse cabo com o porta fusível e o botão de ligar e desligar do monitor MBW-12, veja as figuras abaixo:

Note que dei um nó no cabo VGA para não dar problema se for puxado para fora.

A foto acima, além de mostrar a ligação do botão power mais a direita na parte superior, mostra também como liguei o conector do LED do monitor MBW-12 com a plaquinha de controle que tirei do Samsung 510N. É só soldar um fio em cada extremidade do LED que já existe nessa plaquinha e conectar no conector de LED do monitor MBW-12.

A figura abaixo mostra melhor essa ligação.

Um detalhe: essas fitas que aparecem nas imagens é para prender melhor as placas e melhorar na sustentação de tudo.

Vamos para os acabamentos finais:

Coloquei uma fita nas laterais do Display LCD para melhorar o acabamento.

Comprei essa aqui por 6 reais 😉

Esse foi meu único custo do projeto, o resto tinha tudo em casa

Cortei uns files com um estilete

Depois de cortar a fita, é só colocar nas laterais para fechar os buracos que ficaram e dar o acabamento necessário.

casemod-montagem-tela2

E para terminar o acabamento, retirei aquele adesivo velho da frente do monitor que indica os botões de brilho etc. e coloquei esse no lugar:

[wpdm_package id=’2274′]

[wpdm_package id=’2275′]

Parece complicado, mas pode acreditar, não é. Aqui tem um monte de passos, só para efeito didático, mas na realidade é desmonta os dois monitores e monta o LCD com suas placas no Monitor da gradiente.

O resultado foi esse…

casemod-gradiente-mbw-12-samsung-510n-3

casemod-gradiente-mbw-12-samsung-510n-1

casemod-gradiente-mbw-12-samsung-510n-2

Dá para fazer muita coisa. Pode-se usar outros modelos de monitores de 15″ quadrados, colocando uma placa GBS-8200 ou outro conversor qualquer.

Dá para colocar os botões de controle de menu, brilho, etc. nesse próprio Casemod.

Dá para colocar o circuitinho separador de sincronismo de CSync já dentro do monitor, e por ai vai. Espaço esse monitor tem para suas idéias voarem.

Bom…. espero que tenham gostado e que esse artigo sirva de ajuda para montagem de seus próprios Casemods.

Até a próxima.

Casemod Monitor Mbw-12 Gradiente com Monitor Samsung 510N

 980 total de visualizações

Como Criar Papel de Parede ( wallpaper .sgx ) para usar no SymbOS

Como Criar Papel de Parede ( wallpaper .sgx ) para usar no SymbOS

 

 

Todo mundo que usa o MSX com uma boa interface de drive conhece o SymbOS. Uma alternativa gráfica e multitarefa de sistema operacional simplesmente sensacional.

Para maiores informações sobre o mesmo acesse: SymbOS

Esse artigo na realidade trata de como criar um wallpaper ou papel de parede para usar no nosso SymbOS, já que o mesmo traz alguns exemplos, mas não diz como podemos criar os nossos. A extensão dos arquivos de imagem utilizados pelo SymbOS é SGX então como gerá-los?

Sem delongas, vamos precisar das seguintes ferramentas.

  • Paint (do windows) – Para converter as imagens para bitmap com 16 cores
  • BMP2MSX – Para converter as imagens bitmap para Screen 7 com o tamanho e a paleta de cores usada no SymbOS
  • symbos.pll – Arquivo com a paleta de cores do SymbOS para ser carregada no BMP2MSX
  • sc72sgx.com – Aplicativo para MSX que irá converter uma imagem da Screen 7 para o formato SGX

Se preferir pode baixar todos os arquivos aqui: 

Arquivos para Gerar Wallpaper no SymbOS

 

 

Primeiramente baixe ou crie uma imagem que deseje usar. Para isso não adianta procurar uma imagem com milhões de cores e super complexas. O SymbOS só enxerga 16 cores no máximo, então procure uma imagem com menos cores possíveis, não precisa ser com 16 cores, pode ser com mais, durante a conversão você vai verificar se ela vai ficar boa ou não.

Vou utilizar como exemplo uma que baixei da própria internet que é essa aqui ó:

Penguin_Adventure_(MSX)_MSX2-Pal_JP

Bom essa imagem tem a extensão .png então vamos usar nossa primeira ferramenta: o Paint.  É isso aí o super Paint do Windows hehehe.

PASSO 1 – Carregar nossa imagem no Paint e agora basta apenas ir no menu Arquivo/Salvar como… e salva-la com um nome de até 8 caracteres.

paint-carrega-tela

grava-bmp-16-cores

O detalhe aqui é que precisa salvar a imagem como Bitmap de 16 cores, nesse ponto você já consegue ter uma idéia de como vão ficar as cores da imagem que você escolheu.

Como tinha escolhido uma imagem já com 16 cores, então ficou tranquilo, não mudou nada.

PASSO 2Agora vamos abrir a segunda Ferramenta BMP2MSX

bmptomsx

Note que ela já abre com uma configuração padrão da própria ferramenta. Então antes de continuarmos vamos reconfigurar para nosso uso.

Clique no menu Setting / Setting

Na janela que se abre coloque a configuração conforme a tela abaixo

bmptomsx-settings

Note que precisa carregar a paleta de cores correta utilizada no SymbOS (symbos.pll)

Clique no botão Default e pronto.

PASSO 3 – Carregue a imagem bitmap que você salvou anteriormente, clicando em File/Open file…

Se você seguiu os passos corretamente a imagem já com o tamanho e cores certas vai aparecer assim na tela:

bmptomsx-scr7-escrito

Para visualizar melhor, clique no menu Setting / show settings(V) tab. Vai mostrar a imagem abaixo.

bmptomsx-scr7

Salve a imagem gerada clicando no menu Preview / Save as…    como Penguin.sc7

Passo 4Bom com a imagem penguin.sc7 criada, copie esse arquivo em uma pasta de trabalho no msx. Isso… agora esquece o pc que o trabalho é no msx. Copie para essa pasta também o aplicativo sc72sgx.com.

Digite no prompt > sc72sgx penguin.sc7 penguin.sgx <enter>

Se tudo correr bem, vai aparecer a imagem que se está convertendo na tela e logo em seguida volta para o prompt de comando.

Nesse ponto está pronto o seu papel de parede.sgx.   Copie o arquivo penguin.sgx para a pasta Symbos.

Entre no Symbos

Clique em Control Panel

Clique em Display

Clique no botão browse e escolha o arquivo penguin.sgx que você criou. Clique em Ok e pronto.

Se tudo correu bem você vai ter essa imagem ai na sua tela:

Wallpaper Symbos

É isso aí, fica a dica…. se gerarem bons papéis de parede podem enviar que posto aqui para todos baixarem.

 

 

Como Criar Papel de Parede ( wallpaper .sgx ) para usar no SymbOS

 448 total de visualizações

Joysticks para Todos os Gostos

Joysticks para todos os gostos

 

 

Esse artigo mostra uma quantidade absurda de Joysticks diferentes em um só lugar. Veja a quantidade de designs diferentes que foram construídos. Alguns viraram quase que um padrão, mas para ser sincero, padrão aqui é o que menos você vai ver.

Uma pequena introdução do que é um Joystick (não que todos desse planeta não saibam). Mas é legal saber como curiosidade.

Veja esse texto extraído na integra da Wikipedia:

“O Joystick surgiu originalmente como controle de aeronaves e elevadores. Sua invenção é originalmente atribuída ao piloto francês Robert Esnault-Pelterie, existindo também reivindicações históricas entre os pilotos Robert Loraine, James Henry Joyce e Sr. A. E. George. Esse último foi pioneiro ao voar em um pequeno avião em Newcastle, na Inglaterra em 1910. É atribuído a ele a criação do “George Stick” o qual tornou-se popularmente conhecido como joystick. O joystick apesar de estar presente nos recentes aviões desde século passado, sua origem e utilização mecânica é incerta.”

Legal né.

Espero gostem e que se deliciem com a infinidade de controles.

Divirtam-se.

 

 

JoystickJoystickJoystickJoystick

Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick
Joystick Joystick Joystick Joystick

 

 

 

Joysticks para todos os gostos

 408 total de visualizações